Pais e filhos… (I)

Em Altamira, diferentemente de Belém (ou do que me lembro), se tem o costume de realizar a formatura do Ensino Médio em escolas particulares. Sempre achei que fosse obrigação do aluno concluir, mas vou deixar isso para outro momento.
Fui para a do meu filho de 17 anos. Ao chegar à quadra do colégio, a decoração condizia com o ambiente de uma grande festa. O que eu não esperava era a cerimonialista me perguntar se eu não gostaria de representar os pais. Segundo ela, ninguém havia se colocado à disposição. Prontamente, aceitei. Só que precisava discursar e não havia pensado em nada. Procurei um lugar mais tranquilo e deixei várias frases que já havia lido juntarem-se com o que meu coração queria dizer naquele momento. Não recordo agora perfeitamente de tudo que falei, mas segue abaixo o que me recordo.

“Boa noite a todos. Primeiramente quero deixar claro que fui indicado a pouco para representar a nós, pais, mães e responsáveis por esses meninos e meninas.
Além da honra, espero não decepcioná-los e fazer valer a escolha pelo meu nome. Não vou me alongar, salvo engano, serão mais de 300 palavras.
Pra começar, vou usar um trecho bíblico bastante famoso: “filhos são herança do Senhor”.
Ser pai, mãe e, no meu caso aqui, ‘pãe’, é uma das dádivas divinas mais preciosas. E o próprio Deus nos deu exemplo de como educar aos filhos. Ele é justo, misericordioso e paciente, mas sabe agir com firmeza quando percebe que estamos desviando o caminho.
Agora vocês estão com as portas do mundo aí perto. E a educação foi a base de tudo. Ela é a propulsora de estarem aqui. Temos que agradecer ao colégio também.
Mas, que caminhos são esses? Vou falar sobre o futuro, porém, vou comentar um pouco do passado que sei que será relembrado por quase todos aqui.
Ao olhar os rostos dessas crianças – sim, nossas eternas crianças -, lembro-me das longas noites de choro e insônia, das fraldas cheias, do primeiro dente, do ‘papa’ ou ‘mama’ e por aí vai.
Lembro-me dos sonhos que tive ao imaginá-lo graduado como médico, engenheiro, professor, filósofo ou o que você quisesse ser.
Também lembro quando via meus pais como meus heróis e esperava que você me encarasse como seu herói. Pronto para encarar o mundo. Um mundo tão cheio de adversidades e atrativos que precisamos estar sempre de olho.
Agora vocês vivem em uma idade em que se preocupam com namoro, amizades, baladas, celular, namoro, provas, celular.
Daqui a pouco serão os trabalhos, responsabilidades, celular, a conclusão de um curso superior, traições, celular, desejos, decepções, celular.
Não importa a idade de cada um deles ou se já entraram na maioridade. Nossas casas, as casas dos pais sempre serão o porto seguro de vocês.
Dizem que nossos filhos não são nossos e que somente os preparamos para o mundo. Porém, nós, pais, estaremos sempre pertos, pois somos os únicos que os amam verdadeiramente. E é com esse amor incondicional que pedimos que vocês aproveitem esse momento único: a formatura de vocês e a presença das pessoas que os amam.
Parabéns para nós, pais, que sempre buscamos o melhor para nossos filhos.
Parabéns para vocês, formandos, que já buscam o melhor para vocês.
E me perdoem se fui prolixo.
Boa noite”.

Com algumas engasgadas e com um nó na garganta, me despedi do microfone e voltei a sentar no meu cantinho. Sozinho. Olhando meu filho se divertindo com os colegas de classe. Talvez uma das últimas vezes que estarão juntos. Ou não?
Aí, imaginei como o mundo pode estar aguardando por ele, entretanto, que o mundo saiba que sou eu que o guardo ontem, hoje e sempre. Perto ou longe, mas dentro do meu coração.

Anúncios

Gostou? Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s