Pra que compartilhar foto de crianças mortas?

Por que algumas pessoas ainda tem a curiosidade mórbida de ver a foto de uma criança morta? E pra quê? E nossos políticos, o que fazem?

Anúncios

(Triste) olhar de turista

Mãe e filhas são brutalmente assassinadas em Altamira. Jovem indígena é vítima de preconceito. Até quando?

Botões de rosa…

Estive há pouco participando da solenidade de entrega da medalha de Mérito Legislativo concedida pela Câmara de Altamira a diversos profissionais da comunicação no município. Representantes de todas as emissoras locais (sim, Altamira tem, se não todas, mas os principais sinais de tevê), internet, rádio, impresso e mídias sociais foram agraciados com essa honraria (com … Continue lendo Botões de rosa…

Cidade Livre

“O jornal era a voz do povo de Altamira”. Essa frase que escutei ao acompanhar a exibição do último telejornal da TV Canção Nova, o Cidade Livre, reflete bem o que também penso. Não!!! Isso não é desmerecer os demais noticiários das emissoras locais. Cada um oferece aquilo que mais lhe convém e que lhe … Continue lendo Cidade Livre

#PrayForAltamira

Sempre em casos de grande repercussão de violência, como o maior atentado “doméstico” em território norte-americano, se posta #PrayForOrlando, #PrayForParis ou #PrayForLasVegas, por exemplo. Não é desprezando as mortes dos que foram vítimas de atos insanos, monstruosos e covardes, mas ao olharmos para nosso umbigo, nosso quintal, também vivemos em tempos de guerra em Altamira. … Continue lendo #PrayForAltamira

Recordação de tragédia anunciada

Quem recorda da foto de um menino sírio morto numa praia da Turquia? A fotografia foi comentada, retuitada e apontada como representativa da gravidade da situação que assola aquela região e envolve questões políticas, econômicas e migratórias. A tragédia do naufrágio no Rio Xingu, próximo ao município de Porto de Moz, no sudoeste do Estado, … Continue lendo Recordação de tragédia anunciada

Crianças (I)

Dia das crianças. Quem são nossas crianças? Mortas, vítimas. Agressivas, vítimas. Inocentadas, vítimas. Agredidas, vítimas. Cada vez em que se veicula histórias envolvendo crianças ou adolescentes o tema sobre maioridade penal volta à cena. Meninas espancam menina por causa de ex. Menino desaparece sem deixar vestígios. Outro é assassinado depois de uma vida de crimes. … Continue lendo Crianças (I)

Violência em todos os cantos

  "Eu quero presentear A minha linda donzela Não é prata nem é ouro É uma coisa bem singela Vou comprar uma faixa amarela Bordada com o nome dela E vou mandar pendurar Na entrada da favela"*   Não teve faixa amarela. Teve a linha vermelha. Lavada com sangue. Mais uma vez. Perto de favelas. … Continue lendo Violência em todos os cantos

O vestido de festa

A professora chega à sala de aula. Na escola, festinha (atrasada) em homenagem às mães. Triste, uma aluna fica encolhida e toda desconfiada no canto da sala, numa cadeirinha velha e a mesa não muito diferente. _ O que você tem, meu anjo? – questiona a “tia”. Nada. Nenhuma resposta. Só um fio de lágrima … Continue lendo O vestido de festa

Ligou ou não ligou?

Cedo. Fila. Você com dor na coluna aguardando ser chamada. _ Bom dia! – diz a atendente. _ Bom dia. Gostaria de fazer esse exame. _ Senhora, temos que pedir autorização ao convênio. Caso seja autorizado, ligaremos para a senhora. - informa. Espera-se a manhã toda. Dezesseis horas da tarde e nada. Você retorna ao … Continue lendo Ligou ou não ligou?

Agora vai? #BaixaAzul ou #VoltaGol

MPF aponta abusividade em aumento de preços de passagens aéreas entre Altamira e Belém Aumento ocorreu imediatamente após a Gol se retirar da rota entre a cidade no Xingu e a capital paraense. Passagens saltaram de R$ 136 para R$ 1.129 O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou nesta quarta-feira, 4 de maio, ação contra a … Continue lendo Agora vai? #BaixaAzul ou #VoltaGol

Olhai por nós, Senhor!

Desde novembro do ano passado não escrevo. Às vezes, a vontade vem e vai com a mesma intensidade. Seja por cansaço físico ou fadiga mental. Preguiça, talvez. Só que hoje eu não poderia deixar em branco algo que deixou a cidade, que escolhi para viver, mais cinzenta e vermelha e seus moradores de luto. É … Continue lendo Olhai por nós, Senhor!