Ela

repórterLá vem ela.
Olhos atentos, ouvidos antenados. Radar atrás da informação. Informação com qualidade.
Lá vem ela.
Atenta, antenada, informada. Fios de ébano tocando a pele de marfim.
Lá vem ela.
Alva, alvo de todos os olhares.
Lá vem ela.
Seja na aurora, seja no crepúsculo, progride na medida de seu talante, de seu talento.
Lá vem ela.
Com o dom literato, transmite tudo que acontece. Mas tem só uma coisa que não consegue colocar no papel. O que é ser mãe. Pra isso, não escreve. Sente. Somente sente. E dá todo amor que encanta a todos. Filha e mãe. Mãe e filha. Mulher.
Ela. Lá vem ela. Cristiane.

Poesia pelo aniversário da minha amiga Cristiane Prado, repórter da TV Liberal (Altamira-Pará).

Anúncios